quinta-feira, 8 de julho de 2010

Roteiro pela Europa

Em homenagem a Carol, que logo embarca para estas bandas, resolvi publicar um post sobre minha primeira vinda à Europa. As primeiras viagens são sempre complicadas, pois, de repente, você é confrontado com aquele mapão da Europa, cheio de possibilidades e, também, de renúncias... Oh céus, oh vida, oh azar! É preciso fazer escolhas, eleger as prioridades e cortar destinos.

Nesta viagem, ficamos um total de 28 dias (até parece filme...), excluídos os voos de ida e volta do Brasil, e viajamos por cinco países. Então, vamos ao que interessa:


Visualizar Roteiro Europa em um mapa maior

- Londres: 5 dias

Tower Bridge

- Paris: 5 dias

Tour Eiffel

- Amsterdam: 2 dias

Canal de Amsterdam

- Colônia: 1 dia

Kölner Altstadt

- Munique: 4 dias (incluindo um bate-volta até Füssen)

Schloss Neuschwanstein

- Veneza: 3 dias

- Florença: 3 dias (incluindo um bate-volta até Pisa)

- Roma: 4 dias

- Milão: 1 dia

Originalmente, o roteiro incluía Viena (entre Munique e Veneza). Porém, depois de fazermos Londres e Paris, chegamos à conclusão de que ficaria muito corrido. Então, ainda em Amsterdam, alteramos as reservas dos hotéis para incluir mais um dia em Munique e outro em Veneza, o que foi ótimo para a viagem... E melhor ainda depois, pois acabamos morando aqui! A vida é mesmo cheia de estranhas coincidências, não é?

Por fim, cabe comentar que Milão foi incluída no roteiro em função do voo de volta para o Brasil.


Na época (em 2006), optamos por fazer todos os trechos internos de trem. Para isso, compramos um passe da Eurail. Como o roteiro envolvia longas distâncias, viajar de carro tornava-se inviável. Uma outra possibilidade é fazer todas as conexões usando as companhias aéreas low cost. É bom lembrar, no entanto, que os aeroportos normalmente são afastados, existem custos de transporte e perde-se bastante tempo com check in e bagagens. A favor dos trens, conta o fato de que as conexões são centro-a-centro, pode-se chegar apenas minutos antes do embarque e você não precisa despachar as malas. (e teoricamente não existe limite de peso, coisa que os brasileiros amam!). Por último, vale a pena mencionar que o trem faz parte da cultura européia e que não deixa de ser mais uma forma de "degustar" a Europa. No site do "Comandante" Ricardo Freire, você encontra infinitas dicas sobre o assunto e avaliações dos prós e contras de se usar trens.

Como chegamos
Voos São Paulo-Londres e Milão-São Paulo pela TAP.

Onde ficamos
Fizemos todas as reservas pelo Booking.

Outras Dicas
Fora o tradicional Lonely Planet, um outro guia bacana para quem está pretendendo fazer uma extensa viagem pela Europa é o "O Viajante Independente Europa" (o livro, com nome e sobrenome, é o Guia Criativo para O Viajante Independente na Europa, ufa!).

Veja também os nossos outros pela Europa: Carolmay e Carina.